22/04/2012

Bobó de Filhote



De uns tempos prá cá as comidas do norte e nordeste caíram nas graças dos grandes chefes e aficionados. A minha experiência e do Gui neste território, principalmente da comida de influência amazônica se resume às polpas de cupuaçú, açaí e bacuri, presentes da D. Maria do Carmo e à deliciosa comida de uma barraca que fica na feira da Benedito Calixto aos sábados. Assunto aliás que merece um post à parte.

Enfim, nesta semana novamente D. Maria do Carmo nos surpreendeu. Ela nos presenteou com um enorme isopor, vindo direto de Belém do Pará, lotado de filhote. Pra quem não sabe, o filhote é um peixe enorme, apesar do nome, que vive nos rios da bacia amazônica e do araguaia.

O que fazer, ou melhor, como fazer? Uma olhada na geladeira e aí está o resultado. Um delicioso bobó, feito na cara e coragem mas que rendeu bons momentos neste domingo chuvoso. Só faltou o coentro pra ficar perfeito.

Ingredientes pra 4 pessoas:
1kg de filhote limpo cortado em pedaços grandes
1 limão
1,2kg de mandioca amarela cozida com sal
2 cebolas
1 pimentão vermelho
1 vidro de leite do coco
1 cabeça de alho
uma boa pimenta - pode ser a que você mais gostar, ou tiver em casa...
azeite para refogar
um pingo de óleo de dendê
cheiro verde a gosto (Se eu tivesse em casa teria usado coentro)

Modo de fazer:
Em uma frigideira refogue as cebolas, o pimentão e o alho no azeite. Tempere o peixe com o limão e coloque na frigideira com muito cuidado para não quebrar. Tampe e deixe cozinhar até que ele esteja macio. Isso não vai demorar quase nada. Bata a mandioca cozida no liquidificador com um pouco da água do cozimento. É importante que a textura fique bem fininha, ou seja, tudo muito bem batido. Se for preciso, faça isso aos poucos.
Retire metade do refogado - sem o peixe, é claro - e bata também no liquidificador.
Coloque a mandioca e o refogado batidos em uma panela, pode ser de pedra, barro, ou em uma comum mesmo. Acrescente o leite de coco, o dendê, a pimenta, acerte o sal e por fim coloque o peixe cozido e o cheiro verde.
Não tem como isso ficar ruim. Aliás, modéstia às favas, ficou ótimo.

Dica da Myrna:
Se não encontrar o filhote, use qualquer outro peixe branco de rio.

Nenhum comentário: