24/03/2012

Broinhas de fubá



Seção nostalgia num sábado a noite.
Com saudade da casa da avó onde os bolos eram assados no fogão à lenha, fui acometida por uma imensa vontade de comer broa de fubá. Saudade mesmo, daquelas que não se mata indo à padaria da esquina.
E tem coisa mais mineira do que isso - broa de fubá com café? Bem, talvez nossa relação com queijo...
Enfim, fui checar a dispensa e a quantidade do ingrediente principal era ridícula, mal dariam duas xícaras.
Nada de me abater, com um caderno recheado com as melhores receitas de mãe, avós, tias, primas e bisavós, eu havia de encontrar uma que usasse apenas duas xícaras de fubá.
Encontrei essa aqui, broinhas de fubá da tia Filhinha, uma prima querida da minha mãe que marcou a minha infância por ter uma casa em Rio Novo em que a qualquer hora que se chegasse havia um tacho de cobre com algum doce gostoso sendo feito.
Aí vai ela.

Ingredientes:
3x de leite
2x de farinha de trigo
2x de fubá
2x de açúcar
2cs de manteiga
1 pires de queijo mineiro ralado (sim, vocês leram certo, o pires era uma medida comum há um tempo atrás)
1 cs de fermento em pó
6 ovos

Modo de fazer:
Fazer um angu com o leite, a farinha, o fubá, o açúcar e a manteiga. Espere esfriar e só então acrescente os ovos, um a um, o queijo e o fermento. Na receita original ela manda polvilhar um tabuleiro com fubá e colocar as broinhas com a ajuda de uma concha. Como eu já não tinha mais fubá, coloquei em forminhas de cupcake. Elas não ficam tão bonitas, mas o gosto continua delicioso.
Agora é só fazer um café fresquinho e aproveitar!

Dica da Myrna:
Substitua uma parte do leite por leite de coco, e se quiser as broinhas mais leves, bata as claras antes de misturar ao angu.

07/03/2012

SPRW - La Marie


Novamente uma SPRW! Mais de 200 restaurantes dessa vez, para todos os gostos! E lá fomos eu e a Bibi novamente.

Fiz uma pré-seleção de alguns, mas logo que vi a lista, aos meus olhos saltou o La Marie. Fica numa esquina da Rua dos Pinheiros, próximo à Rebouças. Sempre passávamos por lá quando moramos em Pinheiros, mas nunca tivemos coragem de entrar. Eu, que havia namorado o restaurante na web durante muito tempo, sabia que os preços eram salgadinhos demais para nosso modesto bolso. Agora ele entra na SPRW e oferece um cardápio de cair e quebrar o queixo. E o melhor: a um preço que não paga nenhum dos pratos individuais do restaurante.

Bem, terça-feira brava, meio de semana, um dia depois de começar a SPRW, fomos nós. Reserva feita, chegamos lá pontualmente 15 minutos antes e fomos recebidos pelo dono da casa. Uma simpática moça nos atendeu, fizemos os pedidos e pronto. Agora era só correr para o abraço. E foi mesmo. Corremos para um abraço repleto de manteiga, ervas finas e sabores indizíveis. Só provando mesmo para saber.

Entrada: ostras gratinadas


Prato principal: Lagosta Toscana com Papardelle de Merlot


Sobremesa: mousse de chocolate

As imagens são do site do evento, não foram tiradas por nós. Não fazem jus ao que vivenciamos e experimentamos ali. Asseguro-lhes uma coisa, foi a primeira visita de outras muitas num futuro próximo. Começamos a juntar o dinheirinho para voltar lá ontem mesmo.