30/12/2011

Pernil de leitoa caipira com raiz forte


Ingredientes:
1 pernil caipira com osso de mais ou menos 2kg
2c de sobremesa de molho de raiz forte (Usei o da Damm)
2c de sobremesa de molho inglês
3c de sobremesa de shoyo
1cc de pimenta do reino moída
1cs de alho socado com sal e salsinha
5 ramos de alecrim sem o talo
4 folhas de louro
4 cs de vinagre de arroz
4cs de óleo de canola

Modo de fazer:
Na véspera de assar, coloque o pernil em uma assadeira forrada com duas camadas de papel alumínio. Faça cortes em diagonal na pele que deve ficar para cima e faça também alguns furos com a faca do outro lado. Bata os temperos no liquidificador, menos as folhas de louro, jogue sobre o pernil e faça uma boa massagem, lembre-se de empurrar o tempero para dentro dos furos e cortes. Coloque o louro junto com a carne, cubra e deixe descansar por 24h.
Eu assei em forno alto por 2h coberto com o papel alumínio e depois mais 40min sem papel.
Foi a primeira vez que nos aventuramos a fazer uma comida tão demorada na ceia de Ano Novo, mas valeu cada minuto despendido... A pele vira um torresmo gigante.
Nós servimos com uma massa que não ficou muito boa, por isso ela não veio para o blog, mas uma farofa já seria uma companheira à altura.

28/12/2011

Espaguete com vôngole e rúcula


Eu sei que não é muito fácil encontrar vôngole por aí, mas no dia em que isso acontecer, não perca a oportunidade. A receita é um pouquinho trabalhosa, mas compensa.

Ingredientes para 4 pessoas:
1/2x de azeite
3 dentes de alho picados
1 cebola grande bem picadinha
1kg de vôngole
1 dose de cachaça
1 colher de café de coentro moído
pimenta do reino branca à gosto
1cs de manteiga
500g de espaguete
1cs de sal para cozinhar o macarrão
1 maço de rúcula picado

Modo de fazer:
Refogue o alho e a cebola no azeite, acrescente o vôngole, a cachaça, os temperos e tampe a panela.
Deixe cozinhar até que as conchas estejam abertas, se for preciso acrescente um pouco de água.
Nós não colocamos sal no molho já que as conchas soltam um pouco de água do mar.
Desligue o fogo e pra facilitar na hora de comer, retire a carne de 2/3 das conchas e descarte-as.
Volte a panela para o fogo, adicione a manteiga, a massa cozida e a rúcula, misture bem e aproveite.

P.S.
Nós não tínhamos tomates frescos em casa, mas acho que poderia ser uma boa adição à essa receita.

Dica da Myrna:
Ao lavar o vôngole, descarte as conchas que já estiverem abertas e as que não abrirem após o cozimento, também devem ir para o lixo.

Natal 2011


Voltamos! Ou ao menos estamos tentando voltar...
Como essa decisão só foi tomada depois do natal e a única foto tirada foi a da mesa, aqui vai ela.
A novidade é que a partir de agora as fotos serão feitas com o iphone, primeiro porque nossa máquina não anda muito bem das pernas e segundo porque o Gui anda viciado nisso.

01/01/2011

Reveillon 2010-2011


Eu adoro reveillon, na verdade eu adoro festa, ainda mais uma que permite esquecer o que passou e traz promessas de um futuro melhor! Há alguns anos eu e o Gui passamos a noite sozinhos, já que normalmente ele está de "sobreaviso" no trabalho. Isso é uma ótima desculpa pra gastar um pouquinho mais nos ingredientes do jantar, afinal, vamos ficar em casa mesmo...

Obs.: Perdoem-me pelas fotos, ficaram muito ruins, mas também o que esperar depois de um frangelico sour, uma garrafa de champanhe, o vinho de sobremesa....

Muffins de polenta com azeitonas e salmão defumado


Essa receita é do Food + Drink - Marie Claire, da Michele Cranston.
Teoricamente renderiam 18 muffins, mas como usei minhas forminhas de empada pra conseguir porções menores, uma receita inteira daria para fazer 24 pequenos muffins.
Como éramos só eu e o Gui - nossa comemoração clássica de reveillon, muito apreciada, por sinal - fiz meia receita, o que foi uma encrenca na hora do "1 ovo"! Como se divide um ovo ao meio?
Problemas à parte, essa é uma entrada original, muito saborosa e que ainda permite uma imensa possibilidade de coberturas...

Ingredientes para 24 forminhas:
1 e 1/2x de farinha de trigo
2/3x de fubá
2cc de fermento
2cs de azeitonas pretas picadas ou alcaparras (receita original)
2cs de salsa picada
1 cs de estragão
1x de leite
2cs de azeite
1 ovo batido
sal e pimenta à gosto

Para servir vamos precisar ainda de um pouco de salmão defumado e algumas colheres de creme fresco batido com gotas de limão.

Modo de fazer:
Misture os ingredientes secos e os temperos em uma tigela, adicione o leite, o azeite e o ovo, que devem ter sido batidos separadamente. Coloque em forminhas untadas com óleo, que podem ser tanto de muffins como de empadas, depende do tamanho que você quer. Asse por mais ou menos 20min, ou até que fiquem corados. Para servir, retire um pouquinho da tampa dos muffins, cubra com o creme batido com limão (creme azedo), uma tirinha de salmão e decore como quiser. Algumas folhas de dill vão muito bem, ou se você quer realmente impressionar, uma colherinha de ovas de salmão cumpre o papel.

Ah, como vocês devem ter percebido, essa foi a única foto salvável da noite...

Rolinhos de papel arroz com pastrami e pimentões assados


Rolinhos de papel arroz são uma coisa muito útil de se ter em casa para momentos em que o tempo é curto.
Eles podem ser recheados com quase tudo, ou pelo menos tudo o que não solte líquidos...
Você pode aproveitar as sobras de Natal e criar uma boa entradinha para o Ano Novo.
Eu acabei usando o que tinha na minha geladeira, mas não se acanhe, o céu é o limite!

Ingredientes:
4 folhas de papel arroz
4 fatias de pastrami
4 tirinhas de queijo brie
4 folhas de sálvia
um tantinho de pimentão assado cortado em tirinhas

Modo de fazer:
Mergulhe as folhas de papel arroz em água fervente por 1 a 2min e reserve. Cuidado para que não grudem, o ideal é já deixar o recheio pronto e ir montando uma a uma.
Sobre uma tábua de madeira, coloque a folha aberta e sobre ela o recheio. Dobre duas pontas sobre o recheio e só depois enrole. Mais fácil impossível!

Dica da Myrna:
Se quiser ainda pode fazer um molho para mergulhar os rolinhos...

Arroz negro com cachaça e Vieiras com gremolata

Esse era o prato arriscado da noite e se desse errado nossa ceia seriam as entradinhas...
Já pensou em começar o ano novo com um fracasso culinário desta magnitude? Ninguém merece.
Eu queria fazer um arroz bem cremoso, quase um risoto, mas o arroz preto é um tanto duro e difícil de cozinhar, muito difícil, na verdade.
Mas perseverança é uma das minhas virtudes e, depois de quase 1h e meia, o arroz estava pronto. Ficou muito gostoso, acima das expectativas. Vale cada minuto que você passar na frente do fogão!


Arroz Negro com Cachaça

Ingredientes para 2 pessoas:
1 e 1/2x de arroz
1/2 alho poró cortado em rodelinhas
1cs de manteiga
1 dose de cachaça
2cs de vinagre balsâmico
1 litro de caldo de galinha (essa quantidade pode variar, vai depender do arroz...)

Modo de fazer:
Coloque a manteiga, o alho poró e o arroz em uma panela e refogue. Adicione a cachaça, espere evaporar um pouco do álcool e coloque o vinagre balsâmico e metade do caldo. Tampe a panela e deixe cozinhar em fogo médio. Vá acrescentando o restante do caldo aos poucos. Quando o arroz estiver al dente e o caldo bem reduzido e quase caramelizado é hora de servir.
Agora vamos às vieiras...

Vieiras com gremolata
A gremolata é um condimento ou acompanhamento usado na itália para acompanhar carnes, mas combinou muito bem com as vieiras.

Ingredientes:
12 vieiras limpas
1 fio de azeite
sal e pimenta à gosto
1x de salsa picada
1 dente de alho picado
raspas de 1 limão

Modo de fazer:
Para a gremolata, coloque o alho e as raspas de limão em uma tábua de madeira e pique beeeemmmm pequenininho. Vá adicionando a salsa aos poucos e continue picando, muito mesmo. Só isso!

As vieiras devem ser temperadas com sal, pimenta e um fio de azeite. Aqueça uma frigideira anti-aderente e grelhe as vieiras por pouco tempo de cada lado. Muito cuidado para que elas não passem do ponto e fiquem borrachudas. Na hora de montar o prato, coloque um pouco do arroz, as vieiras e por cima um pouco da gremolata. O prato fica lindo, principalmente se for branco e liso pra valorizar as cores.

Tartelette de ricota com morangos, ruibarbo e gengibre

Essa receita surgiu da imensa vontade de fazer alguma coisa com ruibarbo. Alguém aí conhece ruibarbo? Muito possivelmente só respondeu sim quem não mora no Brasil ou costuma viajar bastante...

Pois então, sou apaixonada por ruibarbo. Mesmo! Eu comecei a me interessar pela planta (pois é, não é fruta, apesar de parecer) assistindo aos programas do Jamie e da Nigella. Que gosto teriam aqueles talos vermelhos e fibrosos? Foi só provar e eu sabia que minha vida gastronômica havia sido abalada para sempre. Pra quem mora em SP é possível encontrar ruibarbos na Casa Santa Luzia, se não é o seu caso, faça as tortinhas com maçãs, morangos e gengibre e elas também ficarão muito boas.

Ingredientes para a massa:
2x de farinha de trigo
3cs de açúcar
150g de manteiga gelada
2 a 3cs de água gelada

Modo de fazer:
Misture a farinha, o açúcar e a manteiga até que fiquem com a aparência de uma farofa. Aos poucos, vá colocando as colheres de água e misturando até chegar na textura certa. Enrole em filme plástico e leve à geladeira por 30min, pelo menos. Eu fiz um dia antes pra que eu não passasse a véspera de ano novo com olheiras de tanto cozinhar...
Abra a massa nas forminhas ou em uma forma maior, faça alguns furinhos no fundo com um garfo e leve ao forno até dourar. Essa receita rende uma forma grande de 26 cm ou 24 forminhas de tartelettes.

Ingredientes para o recheio:
500g de ricota batida no liquidificador
1 pingo de essência de baunilha
300ml de creme de leite fresco batido até o ponto de chantilly
2cs de açúcar
raspas de limão

Modo de fazer:
Misture tudo com cuidado. E só!
Ah, pode colocar um pouco na geladeira antes de cobrir as tortinhas...

Ingredientes para a cobertura:
400g de ruibarbo
300g de morangos inteiros
alguns pedacinhos de gengibre em conserva picados
1 fava de baunilha
1x de açúcar
1 dose de rum

Modo de fazer:
Coloque todos os ingredientes em uma panela e deixe que cozinhem em fogo baixo. Mexa de tempos em tempos para não grudar no fundo. Quando estiver com a textura de uma geléia, pode desligar.
A cobertura rende muito e, além das tartelettes, pode também ser consumida como uma geléia deliciosa...

E este foi o nosso reveillon!