30/06/2009

Curried onion tart


A história dessa torta é interessante. Há algum tempo a Renatinha, minha amiga do trabalho, nos enviou o que depois ficou conhecido com a melhor torta de cebolas já provada por nós dois. Eu até coloquei uma foto no Convidados da Casa de Myrna.
Incrível, perfumada, com um "quê" de India, mas sem passar do ponto. Perguntando sobre a receita, ela me disse ser de um livro comprado na Inglaterra chamado "Tarts". Não é que na semana passada, em um passeio despretesioso, eu encontrei o livro. Não sei se é o mesmo, mas esse também tem uma ótima torta de cebolas...
Na verdade a torta não levaria curry, como sugere o nome, mas alguns dos ingredientes deste tempero.
Pra variar eu não segui a receita à risca, mas vai aqui a original para os mais disciplinados.

Ingredientes para 6 pessoas:

Massa
3/4x de farinha de trigo
75g de manteiga cortada em cubos
1/2cs de cominho moído
uma pitada de sal
água gelada para dar o ponto (muito pouca)

Recheio
1cs de óleo
2cs de manteiga
1cs de garam masala (não coloquei por que acho muito forte, nem fez falta...)
1cs de semente de coentro moída
1cs de cúrcuma (substituí por 1/2cs de curry)
1/2cs de cominho
1/2cs de gengibre em pó (pode usar o ralado)
1 cabeça de alho (usei 4 dentes picadinhos)
500g de cebolas picadas
1cs de açúcar mascavo
2 ovos e duas gemas
1x de creme de leite
sal e pimenta a gosto

Modo de fazer:
Misture os ingredientes da massa, menos a água, que deve ser colocada aos poucos até dar liga. Forre o fundo e as laterais de uma forma redonda de 22cm ou várias forminhas menores. Leve ao forno por 5min.
Para o recheio, esquente o óleo e a manteiga juntos, adicione os temperos e deixe fritar por 2min. Coloque o alho, a cebola e o açúcar e cozinhe por mais 10min, ou até as cebolas ficarem macias e carameladas. Coloque sobre a massa pré-cozida. Bata os ovos, o creme de leite, o sal e a pimenta e adicione essa mistura sobre as cebolas. Leve ao forno médio por 35min, em média.

Pra falar a verdade eu não medi as quantidades de tempero que usei, mas me parece que essa torta fica boa de qualquer maneira.

P.S.:
Gui, eu guardei algumas pra você, tá?!

28/06/2009

Creme magenta


Nunca fui muito fã de beterrabas, acho que elas tem gosto de terra e dificilmente encontro uma receita que despiste essa falha. Como por sorte o que estava na geladeira eram duas beterrabas e uma batata-doce, o que surgiu foi um creme muito rico e saboroso, além de manter a linda cor magenta das beterrabas.

Ingredientes:
1 batata inglesa
1 batata doce
2 beterrabas
2 dentes de alho picadinhos
1 cebola cortada em cubos pequenos
1 fio de azeite
600ml de água (ou um pouco mais, ou menos...)
1 folha de louro
1cc de pimenta calabreza
sal a gosto
200ml de creme de leite

Modo de fazer:
No azeite, refogue o alho e a cebola, acrescente os legumes picados, os temperos e a água fervendo. Deixe cozinhar até que os legumes estejam quase desmanchando. Retire o louro e bata no liquidificador até que os pedaços desapareçam e fique somente o creme rosado. Volte para a penela, acrescente o creme de leite e deixe esquentar novamente.
Para decorar, pingue o restinho do creme de leite sobre o prato e com um palito faça riscos aleatórios.
Além de bonito, fica muito gostoso.

24/06/2009

Bananas assadas com sorvete

Acho que é errado chamar essa delícia de receita, de tão fácil de preparar! Feita no microondas não leva mais que um minuto. Nós comemos pela primeira vez na casa da Flávia, nossa vizinha querida.

Ingredientes:
1 banana da terra por pessoa
1 bola de sorvete por pessoa
canela em pó para decorar

Modo de fazer:
Com uma faca, faça um sulco na banana no sentido do comprimento e coloque no microondas em potência máxima por 30s, vire a banana e coloque mais 30s. O tempo pode variar por conta do eletrodoméstico, portanto, vale checar se ela ficou cozida.
Retire a casca, coloque em um potinho simpático, arrume uma bola de sorvete de creme ao lado e salpique a canela. Voilà, c'est fini!

Dica da Myrna:
Vale servir com um bom vinho de sobremesa e adicionar quantas bolas de sorvete você quiser, uma é pouco...

17/06/2009

Três anos...


Eu sei que vou te amar
Por toda a minha vida eu vou te amar
Em cada despedida eu vou te amar
Desesperadamente, eu sei que vou te amar
E cada verso meu será
Prá te dizer que eu sei que vou te amar
Por toda minha vida
Eu sei que vou chorar
A cada ausência tua eu vou chorar
Mas cada volta tua há de apagar
O que esta ausência tua me causou
Eu sei que vou sofrer a eterna desventura de viver
A espera de viver ao lado teu
Por toda a minha vida

Parabéns, Bibi, pelo terceiro ano do nosso casamento. Te amo!

Queijo coalho com calda de carambola


Receita a quatro mãos... Talvez seja nossa mais genuína escoffiana brasileira. Cuide-se Alex Atalla!

Ingredientes:
Meio quilo de carambolas maduras
Meio quilo de açúcar refinado
Um pedaço de canela em pau
Seis cravos da índia
Queijo coalho

Modo de preparar:
Fatie as carambolas de modo que fiquem como estrelas. Em uma panela de aço, coloque as carambolas já fatiadas e o açúcar, deixando cozinhar e mexendo até formar uma calda. Com o a mistura já quente adicione a canela e os cravos, mantendo-se mexendo com o fogo ligado até que ela comece a ficar um pouco caramelada.

Aqueça o queijo coalho numa frigideira anti-aderente, não havendo necessidade nenhuma de untá-la, deixando o queijo dourar em todas suas faces. Disponha-os num prato e despeje a calda por cima.

Dica da Myrna:
Amigos, isto aqui é bom demais! Dá trabalho, não se enganem, mas vale a pena. Só sugiro que fatiem bem o queijo coalho na hora de servir, coisa que não fizemos, para poderem aproveitar ao máximo a calda.

Risoto branco com manteiga de curry


Assistindo um dia um Menu Confiança, o Claude Troisgros puxou este coelho da cartola e de cara notei que estava diante de uma pérola. Isto não chega a ser uma receita, mas é uma dica para dar um up nos risotos de vocês. Basta pegar duas colheres de sopa de manteiga com sal e duas colheres de sobremesa de curry e misturá-las gentilmente, até formar bolinhas. Disponha-as no seu risoto branco e decore com folhas de manjericão ou alecrim. Além de ficar muito bonito, a manteiga levemente picante derrete, embrenha-se no arroz e deixa um lindo caldo amarelado no fundo do prato, para ser saboreado com fatias de pão.

Só um PS rápido: a receita do risoto é aquela de sempre. Basta procurar em qualquer livro de receita ou em um dos nossos sites recomendados e fazer como fazemos: não siga as orientações ao pé da letra e tente fazer do seu jeito.

15/06/2009

Salmão com capa de curry

Quando eu acho que as receitas do blog andam monótonas, o Nigella Express tem se mostrado a melhor forma de levantar, sacodir a poeira e dar a volta por cima. E foi assim que surgiu esse salmão, inspirado no "salmão com noodles orientais" da Nigella, num domingo que pedia mais do que saladinha sem graça.

Ingredientes:
4 filés de salmão
1/4cc de sal
1cc de açúcar
2cc de curry
1cs de azeite

Modo de fazer:
Misture os últimos 4 ingredientes e bezunte o salmão com capricho para que se forme uma capa ocre em torno da carne.
Esquente uma frigideira anti-aderente e coloque os filés com a pele virada para baixo. Vire somente quando a pele estiver crocante.
É importante que o meio do salmão fique bem rosado, quase crú e as bordas tostadinhas...

Para a massa eu usei os seguintes ingredientes:

250g de bavette ou outra massa qualquer
1 cebola grande picada
2 dentes de alho ralados
1 pimenta dedo-de-moça picadinha
sal e pimenta do reino à gosto
1/2x de azeite

Modo de fazer:
Refogue os ingredientes no azeite, adicione a massa cozida al dente e coloque em um belo prato pra servir de cama pro salmão!

10/06/2009

Salada de tomates com queijo canastra


Aproveitando uma iguaria genuinamente mineira trazida pelo meu sogro de BH. Receita simples, fácil e rápida! Quem não conhece o queijo não sabe o que está perdendo, mas para aumentar a cultura de todos, eis o texto da Wikipedia sobre o mesmo:

O queijo Canastra é um tipo de queijo brasileiro, originário de Minas Gerais. De fabricação artesanal é um tipo de queijo minas (frescal) que, na região Centro-Oeste tem o nome de Canastra. É produzido com o leite de vaca, tendo sabor diferenciado, obtido a partir dos pingos de água (soro) que escorrem do queijo ressecado com sal grosso, que são misturados ao leite da produção seguinte. Essa combinação dá sabor, textura e aroma ao queijo canastra.

Este tipo de queijo tem origem no século XVIII, sendo produzido apenas nos municípios de Bambuí, Medeiros, Piumhi, São Roque de Minas, Tapiraí e Vargem Bonita.

A tradição local afirma que o gado da região alimenta-se de um tipo de capim apenas ali existente, o que transmite ao queijo o seu paladar especial.

O Canastra pode ser consumido fresco ou curado, este último com uma consistência mais firme e um sabor mais acentuado.

Ingredientes:
Duas dúzias de tomates-cereja
200 g de queijo canastra
Pimenta síria
Azeite extra-virgem

Modo de preparar:
Corte os tomates-cereja ao meio e o queijo canastra em cubinhos, misturando-os em seguida. Polvilhe com pimenta síria e azeite, misturando novamente.

09/06/2009

Brownies de passas e rum


Essa receita é do "Flavours" da Donna Hay e uma das minhas favoritas.
Sabe a postagem do cupcake disaster? Agora eu fiz certo! Aqui vai a receita. (Com algumas pequenas alterações, claro!)

Ingredientes:
3/4x de passas
1/2x de rum
200g de manteiga (um tablete)
1 barra de chocolate meio amargo
2x de açúcar
4 ovos
1x de farinha de trigo
2cs de chocolate em pó
1/2 colher de chá de fermento em pó

Modo de fazer:
Coloque as passas e o rum em uma panelinha em fogo baixo até que o rum seja absorvido. Reserve. Derreta a manteiga e o chocolate em fogo baixo até que se misturem bem. Coloque a mistura de chocolate em uma tijela e acrescente todos os outros ingredientes. Unte uma forma retangular, jogue a massa e leve ao forno baixo por quase 1 hora. O topo fica bem seco e quebradiço, já o meio ... derrete!

Dica da Myrna:
Essa receita permite uma infinidade de variações, pedaços de chocolate branco, nozes e castanhas, pedacinhos de banana, e por aí vai...

Ouça só isso aqui!


Lá estava eu em SP, em uma sala de espera de recursos humanos aguardando minha vez de ser atendido. Como manda a cenografia, ao fundo ressonava um rádio com aquela musiquinha de elevador absolutamente insossa e enfadonha. Entre olhos semicerrados e ouvidos vagantes algo me chamou atenção. Alguém começava a dar uma receita de uma pizza fácil de fazer, que utilizava ingredientes domésticos, sem muita sofisticação. Interessei-me e dei adeus à letargia que me tomava. Ao final da transmissão a locutora se identificou: Carla Pernambuco. Eis que regozijei!

Para quem não a conhece, essa moça é dona do Carlota, um célebre restaurante de SP e RJ com uma culinária toda cheia de mimos e delicadezas. Ainda não tive tempo (por favor, entendam a ironia ou o duplo sentido, como queiram), mas certamente irei algum dia. Ela também é autora de alguns livros bem legais que já folheei por aí.

Enfim, deixo aqui o link para o podcast dela na Rádio Mitsubishi de SP. Para quem quiser, o blog dela no site da própria rádio tem também as receitas transcritas. Vale a pena conferir! Uma visita ao site do restaurante dela também tem uma boa relação click-benefício. Página muito charmosa e cheia de dicas.

06/06/2009

Farfalle verde-amarelo

Essa receita foi uma gambiarra para aproveitar uma ótima saladinha de ervilhas com hortelã que o Gui havia feito. Deu certo!

Ingredientes:
250g de farfalle cozido e escorrido
1/2 pacote de ervilhas congeladas passadas em água fervente por uns 2min.
algumas folhas de hortelã
gengibre picado (eu usei em conserva)
2x de frango cozido cortado em cubos (já estava congelado pronto na geladeira...)
1 cebola
1 pimentão amarelo picadinho
um pouquinho de azeite para refogar os legumes
sal e pimenta do reino à gosto

Modo de fazer:
No azeite, refogue a cebola e o pimentão. Espere que fiquem macios e adicione o gengibre, o frango e por fim as ervilhas. Depois de tudo bem misturado, acerte o sal, capriche na pimenta e salpique o hortelã. Misture o macarrão bem quente, decore com um fio de azeite e aproveite!
Serve 2 pessoas.

Creme de cebolas


Ingredientes:
6 cebolas médias cortadas em rodelas
1 alho poró (também cortado em rodelinhas e sem a parte mais verde)
1/2x de azeite
2cs de manteiga
3cs de farinha de trigo
1l de leite
1x de queijo ralado
sal, pimenta do reino e muita nóz moscada moída na hora

Modo de fazer:
Refogue as cebolas e o alho poró no azeite até murcharem. Acrescente a manteiga espere derreter e coloque a farinha de trigo aos poucos, misture bem e vá adicionando o leite. É como fazer um molho béchamel, se o leite for colocado muito rápido fica quase impossível desfazer os grumos, portanto, muita calma neste momento...
Coloque então o queijo ralado, os temperos e vá misturando, sempre!
Provavelmente o creme estará muito grosso, o que pode ser resolvido acrescentando água quente, o quanto for necessário.
Fácil né?!

04/06/2009

Rumo à milésima visita!!!


Olá, amigos! Nosso blog está caminhando de vento em popa para a milésima visita e acho que o sucesso dele é de todos nós que escrevemos, visitamos e o divulgamos para outras pessoas.

A Casa de Myrna e seus segredos são de vocês também! Sintam-se em casa e puxem uma cadeira porquê tem café quentinho saindo na cozinha... Rumo à milésima visita!

01/06/2009

Sardela


Enquanto eu morei em SP vivia meus dias à base de sanduíches quando a Bibi não estava por lá. Tão logo cheguei descobri que um grande número de lugares vendia sardela e passei a fazer deste molho um habituè de minha geladeira. Comi a sardela de pelo menos uns trinta e cinco milhões de lugares diferentes e, ainda hoje, quando vou a qualquer restaurante ou lanchonete que a faz, faço a mais absoluta questão de experimentar.

A receita que aqui coloco é da Bibi. Foi uma das primeiras sardelas que provei e talvez seja a melhor de todas!

Ingredientes:
4 pimentões vermelhos grandes cortados em rodelas
3 dentes de alhos socados
10 colheres de sopa de azeite extra-virgem
1 lata de sardinha no óleo escorrida e picada
2 colheres de sopa de orégano
2 colheres de sobremesa de pimenta calabresa
1 lata de extrato de tomates
Sal se necessário

Modo de preparar:
Aqueça o azeite, doure o alho e refogue os pimentões até encontrarem-se em ponto al dente, isto é, por cerca de 15 a 20 minutos. Leve esta mistura ao liquidificador, acrescentando a sardinha, a pimenta calabresa e o extrato de tomates, batendo rapidamente para formar uma pasta grosseira. Alguns pedacinhos do pimentão podem ficar em meio a esta pasta, quase como se fossem propositalmente deixados ali à mostra.

Retorne a mistura ao fogo médio e mexa sempre até obter uma textura granulada. Acrescente o orégano conforme for misturando. Tenha paciência e deixe a água da mistura secar o suficiente.

Dica da Myrna 1:
Com a sardela ainda quente coloque-a em potes previamente fervidos e desinfetados e guarde-a de pronto na geladeira, pois isto garantirá a formação de um vácuo e fara com que o molho dure muito mais tempo.

Dica da Myrna 2:
A sardela fica mais gostosa depois de um dia de descanso na geladeira. Os sabores e aromas se apuram mais e ela fica muito mais saborosa. Sirva em fatias de pão italiano torradas e aquecidas decorando com uma folha de manjericão fresco ou uma lasca de queijo (para mim os que mais combinam são mussarela de búfala ou um pouquinho de brie).