24/03/2009

Fusili ao pesto genovês


Há algum tempo atrás fomos a um jantar na casa de um casal de amigos, Paulo e Isabella, e lá comemos um spaghetti com um delicioso pesto genovês. Como este blog tem inspirações rodriguianas, eu também tenho minhas obsessões e o pesto, desde então, é uma delas. Frustrei-me um pouco ao ler a receita original, que levava pecorino italiano e pinole, mas o fantasma do pesto do Paulo me impediu de desistir! Variações tupiniquins me permitiram fazer um pesto próximo da realidade local e acho que o resultado vale a pena conferir. Esta é a receita do meu tradicional pesto, mas no futuro postarei algumas das variações. Aqui optamos por um fusili, mas o pesto vai bem com qualquer massa. Sou um ardente fã do bucattini para este molho.

Ingredientes:
Um maço de manjericão fresco
150 gramas de castanha de caju sem sal moída grosseiramente
150 gramas de queijo parmesão ralado na hora
Três dentes de alho
Azeite de oliva extra-virgem

Modo de preparar:
Lave o manjericão e separe as folhas, colocando em um liquidificador ou, se dispuser, um processador de alimentos. Pegue os dentes de alho descascados, esmague-os um pouco com a face lateral da faca e jogue-os no liquidificador. Adicione o azeite, cerca de 50 ml. Bata até formar uma pasta esverdeada. Acrescente as castanhas e o parmesão aos poucos, batendo entre as adições para permitir a mistura. Será preciso um pouco mais de azeite, provavelmente uns 50 a 75 ml, para deixar a mistura um pouco mais homogênea. Quando tudo estiver batido, você terá uma pasta espessa, pouco viscosa e o azeite não escorrerá.

Dica da Myrna 1:
Acho o pesto indispensável na geladeira de casa! Excelente coringa para fazer refeições de momento ou mesmo para comer com torradas quando alguém aparece sem aviso prévio.

Dica da Myrna 2:
Guardar o pesto na geladeira também tem um toque a mais. Coloque o pesto pronto em um pote de vidro e, depois de acomodado, cubra-o com uma camada fina de azeite para evitar que resseque. Se não colocar o azeite, o pesto escurece e perde aquele frescor verde do manjericão.

Dica da Myrna 3:
O melhor pesto é servido fresco. Esta receita não toma nem dez minutos e pode ser feita enquanto você ferve a água e cozinha o macarrão.

Um comentário:

Isabella disse...

Hum... está com uma cara deliciosa! Valeu a pena ser obsecado por pestos, e esta é uma ótima obsessão... eu e o Paulo estamos variando o manjericão por rúcula e fica muito bem! Depois marcamos um novo jantar para degustarmos outras versões! Um beijo em vocês dois,
Isabella
Ah! e o Blog está todo lindo, parabéns!!!